Por Robervando Gomes, em 25 de setembro de 2018

Jovens “autônomos” desenvolvem carros automáticos.

Quando você pensa em escola talvez venha na sua mente, como na de tantas outras pessoas, aquele modelo ao qual nós fomos acostumados, um lugar onde os alunos, jovens, todos os dias sentam-se enfileirados e de forma quase que automática absorvem conhecimento da fonte, nesse caso o professor, o único detentor do saber.

Porém, para nós, a escola deve ser um espaço de produção e difusão, um espaço de troca de informações, onde o aprendizado não se dá de forma vertical e sim horizontal, democrática e reciproca. Hoje, com o avanço da tecnologia há um rápido acesso a informação o que permite aos jovens, donos de diferentes pontos de vista e de uma curiosidade própria de sua geração, tenham a oportunidade de participar, de forma proativa, melhor do próprio processo de formação.

Dessa forma o papel do educador, é como dito por Socrates, é ajudar o discípulo a caminhar em direção ao saber, despertando sua cooperação para que ele consiga por si próprio "iluminar" sua inteligência e sua consciência. Assim, o verdadeiro mestre não é um provedor de conhecimentos, mas alguém que o desperta.

Nesse contexto e buscando aprimorar a sua metodologia, com o intuito de formar excelentes pessoas e profissionais, o CEAP vem adotando e desenvolvendo em seus diversos cursos tecnológicos a metodologia PBL – Project Based Learn ou como conhecido no Brasil “Aprendizagem Baseada em Projetos “. Metodologia que aposta na construção de conhecimento e aprendizado de competências sócio emocionais por meio de trabalhos de investigação que respondam a uma pergunta, problema ou desafio. A partir dessa questão inicial, os alunos se envolvem em um processo de pesquisa, elaboração de hipóteses, busca por recursos e aplicação prática da informação até chegar a uma solução ou produto final.

Seguindo esse modelo de trabalho, visando a integração dos alunos e com o objetivo de convergir as diferentes habilidades e conhecimentos vistos em sala de aula, os alunos das turmas do curso de Robótica Básica desenvolveram por “conta própria”, nas matérias de ciências, domótica e práticas manuais, modelos carros automáticos construídos a partir de materiais recicláveis. Após pesquisa, montagem, testes dos projetos os alunos expuseram para as suas respectivas classes os resultados obtidos, as suas impressões positivas e negativas, possíveis melhorias e os conhecimentos adquiridos ao longo da atividade.

Ao fazer essa auto critica, juntamente com os seus mentores, os jovens além de refletirem, projetam melhorias e dão mais um passo em direção ao conhecimento.

parceiros: